diHITT - Notícias Auto Sauer: Fevereiro 2009

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Câmara determina obrigatoriedade de airbag para carros novos

Regra começa a valer cinco anos após regulamentação do Contran.
Projeto segue agora para a sanção presidencial.

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (18), em votação simbólica, um projeto tornando item obrigatório para carros novos o airbag para o motorista e o passageiro do banco dianteiro.

Caberá ao Conselho Nacional de Trânsito (Contran) regulamentar as especificações técnicas e o cronograma de implantação, mas cinco anos após a resolução do Contran todos os automóveis novos deverão ter o airbag como item de série. Como já foi aprovado no Senado, o projeto segue agora para a sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.


Pelo texto aprovado, será dado um prazo de cinco anos, após a regulamentação do Contran, para que todas os carros novos fabricados no Brasil, exceto os destinados à exportação, tenham o air bag como item obrigatório.

No primeiro ano da regulamentação, no entanto, já poderá ser exigido que projetos novos de veículos tenham o airbag como item de série e não mais como opcional. Não há na lei prazo para o Contran realizar a regulamentação.

Questionamentos


O projeto provocou discussões em plenário. Representantes da bancada do trânsito, como Hugo Leal (PSC-RJ), queriam prazos mais curtos e mais rigidez também no prazo para o Contran regulamentar. “O prazo é muito longo e estamos abrindo mão de determinarmos regras mais específicas para a regulamentação”.

Houve questionamentos também relativos ao preço dos automóveis. Para o deputado Marcelo Almeida (PMDB-PR), poderá haver um acréscimo de até 10% no preço de carros populares. “O carro mais simples não vai mais custar R$ 20 mil, vai custar R$ 22 mil, além de o seguro para o carro com airbag ser mais caro”.

Além da questão da segurança, o deputado Jorginho Maluhy (DEM-SP) acredita que o preço do air bag cairá. “Se incentivarmos o uso do airbag estaremos incentivando a industria brasileira e desenvolver pesquisa para que possamos fabricar este equipamento integralmente no Brasil. Estaremos preservando a vida e gerando empregos”.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Yamaha 125 vence Honda


YBR (R$ 6.210) anda bem e tem mais equipamentos que Fan (R$ 5.590)

Recentemente, Yamaha e Honda mudaram suas motos de 125 cm³. Foram alterações importantes de mecânica e estilo. A Honda Fan ganhou até novo motor e a opção ES (com partida elétrica). Seu preço sugerido é de R$ 5.590. Assim como a rival, a Yamaha Factor E traz partida elétrica, freios a tambor e começa em R$ 6.210. Ela venceu o comparativo com pequena vantagem em desempenho, melhor lista de itens e preço praticado inferior

Só a Factor vem com marcador de gasolina, trava de capacete, hodômetro parcial e cavalete central, se bem que o quadro da Fan pode receber esse item.

O acabamento da Yamaha também é mais elaborado. Basta olhar os pedais do garupa. São fixados no quadro e dão mais segurança a quem vai de carona.

A Honda segura seu comprador com o essencial: motor mais silencioso em alta rotação, câmbio muito preciso, farol com facho mais definido e o novo tanque para 15,1 litros de gasolina.

Na YBR Factor testada o câmbio quase sempre ficava em neutro na passagem de primeira para segunda marcha. E o reservatório de combustível tem os mesmos 13 litros do modelo antigo.

Para se enquadrar na fase atual do programa de redução de emissões por motos (Promot 3), as duas perderam potência em relação às suas versões 2008. O velho motor 125 da Fan produzia 12,5 cv e o novo rende 11,6 cv, embora seja mais moderno. Tem comando de válvulas no cabeçote acionado por corrente. Na Factor, o número anterior, que também era de 12,5 cv, baixou para 11,2 cv.

Yamaha anda mais

No trânsito já se percebe que a Yamaha Factor é mais esperta que a Fan. Essa vantagem se repete quando é preciso abrir o acelerador e vencer o tráfego. O segredo da nova YBR é um carburador mais complexo. Tem acionamento a vácuo e é controlado pela central eletrônica.

Na estrada, seu velocímetro se estabiliza perto dos 110 km/h e o da Fan, por volta de 105 km/h.

Novo Gurgel não tem data para ser produzido

Segundo o atual dono da marca, X12 terá motor Fiat 1.4 no lugar do Volkswagen

A produção da nova versão do X12 TR Tocantins, cujo protótipo foi avaliado pelo JC em agosto de 2007, foi adiada. Segundo o empresário Paulo Lemos, proprietário da marca Gurgel Motores desde 2004, a fábrica onde ele será feito, em Três Lagoas (MS), está com as instalações em estágio avançado, mas não pode começar a operar porque a Secretaria de Meio Ambiente do Estado não concede a autorização para o início da produção.

Sem previsão de quando começará a fazer o carro, que anteriormente estava programado para o primeiro semestre do ano passado, Lemos adianta que fará um novo protótipo, desta vez com motor 1.4 da Fiat.

"Apesar de os testes com o motor Volkswagen terem sido bem-sucedidos, agora temos uma parceria para utilizar o da Fiat, que também fornecerá o sistema Locker (bloqueio de diferencial, que equipa os modelos da linha Adventure)", diz o empresário.

A Fiat Powertrain Technologies (FPT) não confirma a parceria. Mas isso é comum no caso de produtos em fase de testes.

"Se o X12 já era bom na terra, agora ficará imbatível", argumenta Lemos para justificar a substituição do bloqueio de diferencial original do carro, que era manual. Esse sistema foi desenvolvido pelo engenheiro João Augusto Conrado do Amaral Gurgel, criador do X12 e da marca.

Grande expoente da indústria automobilística nacional, Gurgel faleceu no sábado passado, aos 83 anos, na capital.

As demais características do carro serão mantidas, com exceção do para-choque, que ficou maior. Essa alteração já estava no protótipo com motor VW.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Registro de licenciamento não terá mais endereço do dono do carro

Desde segunda-feira (2), apenas o nome é preenchido no documento.
Medida visa proteger cidadão em casos de roubo, por exemplo.

Desde segunda-feira (2), o endereço do proprietário de um veículo não é mais impresso no Certificado de Registro e Licenciamento (CRLV). No campo destinado ao nome e ao endereço do proprietário só consta, a partir de agora, o nome do dono do veículo. A medida foi determinada por meio da deliberação de número 76 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

De acordo com Alfredo Peres da Silva, presidente do órgão, que assina a determinação, a medida tem por objetivo dar mais proteção ao cidadão. Em um caso de roubo do documento, por exemplo, o ladrão fica sem acesso ao endereço do proprietário.

Essa deliberação estabelece ainda que o Certificado de Registro do Veículo (CRV, mais conhecido como recibo de compra e venda de veículo) tenha nova redação, alertando para a necessidade de transferência do documento do veículo em até 30 dias, no caso de venda a outro proprietário.

(G1)

França vai comercializar novo biocombustível

Decreto autoriza a comercialização do E10, composto de 10% de etanol.
Ele será distribuído nos postos de gasolina franceses a partir de 1º de abril

Um novo biocombustível, o E10, será distribuído nos postos de gasolina franceses a partir de 1º de abril, informou nesta quarta-feira (4) a União Francesa de Indústria Petroleiras (UFIP).

Um decreto dos ministérios da Economia, da Ecologia e do Orçamento, publicado no final de janeiro, autoriza a comercialização do E10, composto de 10% de etanol (contra 5% anteriormente) e 90% de gasolina sem chumbo.

“60% dos automóveis que circulam na França devem ser compatíveis com esse novo combustível”, afirmou a UFIP, que não se pronunciou sobre o preço.

O governo espera assim reduzir a quantidade de gás causador do efeito estufa emitido pelos veículos e se antecipa assim as expectativas europeias.