diHITT - Notícias Auto Sauer: Junho 2010

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Chevrolet perto de completar um século de existência

Em 1911, surgia a Chevrolet. Fruto da paixão pelos automóveis e da determinação do jovem piloto suíço Louis-Joseph Chevrolet. Nascido em La Chaux-de-Fonds, na Suíça no Natal de 1878, ele foi o co-fundador da marca – que se chamava Chevrolet Motor Car Company of Michigan – ao lado do empresário William C. Durant. Juntos criaram e construíram uma das mais conhecidas marcas de automóveis no mundo, a Chevrolet. No início, o logotipo que estampava o Chevrolet 490, um modelo com motor de 4 cilindros e 20 cv, sucesso de vendas nos EUA, era apenas o nome da marca levemente estilizado.

Três anos mais tarde, em 1914, Louis Chevrolet criaria um dos símbolos mais conhecidos dentro da indústria automobilística mundial: a gravata Chevrolet. A história é imprecisa quanto à fonte inspiradora de Chevrolet. Alguns acreditam que o logo surgiu a partir de um papel de parede de um hotel em Paris. Outros – incluindo sua mulher – afirmam que o logo nasceu inspirado em uma figura impressa em suplemento de um jornal dominical.

“A Chevrolet e sua conhecida gravata evoluíram com o passar dos anos, mas sempre mantiveram a imagem de tecnologia e modernidade”, afirma Jaime Ardila, presidente da General Motors do Brasil e Mercosul.

Hoje, a gravata da Chevrolet é dourada, imponente, e estampa a grade frontal de todos os veículos da marca produzidos a partir de 2003. Mas nem sempre foi assim: o símbolo da Chevrolet já foi azul, vermelho e até preto.

José Carlos Pinheiro Neto, vice-presidente da GM do Brasil acrescenta: “Os emblemas dos automóveis são mais do que simples símbolos de identificação das marcas. Na Chevrolet, a gravata borboleta traz diversos aspectos da sua história embutidos, capazes de aguçar a curiosidade dos apaixonados por carros. Ela é a identificação do modelo e já faz parte do “DNA” da Chevrolet”, salienta o executivo.

Classic Six: o pioneiro a utilizar a gravata

O primeiro modelo a estampar a gravata Chevrolet foi o Classic Six, em 1914. Quatro anos mais tarde, a marca seria incorporada a General Motors. O mesmo logo presente no Classic Six estampou os modelos da Chevrolet até meados 1930. Ele tinha o fundo azul, com bordas brancas e levava o nome da marca escrito no interior.

Durante os anos 30 até os anos 70, o azul permanecia como a principal cor da gravata. As variações de logo se davam pelas gravatas inseridas dentro de escudos elaborados, como no memorável Chevrolet Bel Air.

Nessa época, surgiram as primeiras variações da gravata, como utilizações em dourado ou em vermelho e azul, mas isto tornou-se mais comum na década dos anos 1970.

Dos anos 1970 aos anos 2000, a Chevrolet usou uma série de cores e tipos de gravata para, estrategicamente, classificar suas famílias de veículos, da seguinte forma:

    * Azul sólido – para carros de passageiro (exceto Cavalier, cuja a logomarca era vazada com a borda azul).
    * Ouro sólido, contrastando com a borda preta – para caminhões, picapes e utilitários esportivos.
    * Borda vermelha – para veículos de alto desempenho

Vermelho: sinônimo de velocidade

Em 1986, um símbolo na cor vermelha apareceu no capô dianteiro do Fórmula Indy V8, equipado com motor da General Motors. Esses bólidos foram destaque nas temporadas da categoria norte-americana nos anos 1980.

Graças à categoria da Fórmula Indy o vermelho transformou-se em símbolo de desempenho e velocidade. Sendo assim, foi a tonalidade predominante nas logomarcas dos carros de alta performance da Chevrolet, tais como o Camaro.

Esse símbolo ficou tão arraigado à marca que a campanha publicitária da época usava o slogan “Vista a Gravata Borboleta Vermelha” (Beware The Red Bow Tie), como se o automóvel com aquela marca também pudesse fazer parte do “vestuário” do consumidor, como uma forma de identificação da personalidade dele.

Duas gerações da gravata dourada

A partir de 2002, a General Motors decidiu padronizar a gravata borboleta, tanto na forma, quanto na cor e textura. Ela se tornou peça fundamental do “DNA” global da Chevrolet. Sua primeira aparição veio na picape SSR, de 2003. No Brasil, o SSR foi exibido no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, em 2004.

A primeira geração da gravata dourada já seguia o padrão de “efeito jóia”, uma aparência de maior brilho à logomarca, que remete à imagem de valor, qualidade e robustez a toda uma família de veículos.

A segunda geração da gravata, lançada recentemente, mostrou uma nova evolução. A superfície ganhou textura mais acetinada e as bordas cromadas ficaram mais largas, a fim de reforçar ainda mais logomarca. E que agora está presente em toda e qualquer comunicação que envolva a marca, como este press release, por exemplo.

O piloto que virou marca de automóveis

Durante sua infância, Louis Chevrolet passou o tempo nas aldeias de Bonfol e Beurnevésin, que estavam perto da fronteira francesa. Em 1886, a família de Chevrolet saiu da Suíça para viver em Beaune, na região de Côte-d’Or, onde o jovem Louis, filho de um fabricante de relógios suíços, interessou-se por mecânica.

Como adolescente, chegou a ser guia de uma adega local. Certa vez, impaciente com a decantação lenta do vinho de barril a barril, inventou uma bomba que acelerava o processo – a engenhoca chegou a ser usada extensivamente na Borgonha, famosa região produtora de vinhos da França, durante décadas. Ele também construiu e vendeu a sua própria bicicleta chamada de Frontenac. Esse nome seria mais tarde utilizado para seus carros de corrida.

O primeiro contato com mecânica foi entre 1895 a 1899, na Roblin Mecânica, especializada no reparo de bicicletas e carruagens, onde aprendeu os fundamentos da arte da mecânica.

Louis Chevrolet viveu em Paris durante algum tempo, até migrar para Montreal, no Canadá, em 1900. Sua relação com o automóvel começou a aumentar quando se mudou, aos 21 anos, para Nova York (EUA) onde conseguiu seu primeiro emprego na indústria automobilística. Ali, teve seu primeiro contato com o automobilismo, inicialmente na equipe de mecânicos e, mais tarde, como piloto. Sua estréia nas pistas de Nova York foi maio de 1905, conduzindo um modelo de 90 cv de potência, que atingia a velocidade de 109 km/h.

O interesse de Louis Chevrolet pelos automóveis o aproximou do empresário norte-americano William C. Durant (1861-1947), um próspero comerciante de carruagens que como administrador da Buick, fundara a General Motors Company, em Hudson, Nova Jersey (1908).

Em 1917, Chevrolet vendeu sua parte na companhia para o sócio. No ano seguinte, a empresa passou para a GM, então administrada por Durant. Apesar de sua genialidade mecânica, Louis não era um homem de negócios.

Longe da fábrica, Louis Chevrolet passou, então, a se dedicar exclusivamente aos carros de corrida. No ano seguinte, ele e seu irmão Gaston criam a Frontenac Motor Corporation, para projetar e produzir sua própria linha de carros de corrida.

O melhor resultado de Louis em Indianápolis foi um sétimo lugar em 1919. Naquela corrida ele largou em segundo, liderou boa parte da prova, mas teve problemas. Em 1920, Gaston venceu as 500 milhas de Indianápolis em um carro construído por Louis.

Louis Chevrolet morreu em 6 de junho de 1941 em Detroit e foi enterrado no Holy Cross and Saint Joseph Cemetery, em Indianápolis. Em sua homenagem, um busto foi colocado na entrada do museu do Indianápolis Motor Speedway.

A General Motors, um dos maiores fabricantes de veículos do mundo, tem origem em 1908. Com sede global em Detroit, a GM emprega 205.000 pessoas nas principais regiões do mundo e tem operações em 140 países. A GM, com seus parceiros estratégicos, produz veículos em 34 países, vendendo e proporcionando serviços para estes veículos através das seguintes marcas: Buick, Cadillac, Chevrolet, FAW, GMC, GM Daewoo, Holden, Opel, Vauxhall e Wuling. O maior mercado da GM é o dos Estados Unidos, seguido de China, Brasil, Alemanha, Reino Unido, Canadá e Itália.

No Brasil a GM fabrica e comercializa veículos com a marca Chevrolet há 85 anos. Em 2009 a Chevrolet registrou recorde histórico de vendas no país com o volume de 595.536 veículos. A companhia tem três Complexos Industriais que produzem veículos em São Caetano do Sul, São José dos Campos (SP) e Gravataí (RS). Conta ainda com unidades em Mogi das Cruzes (produção de componentes estampados), Sorocaba (Centro Distribuidor de Peças) e Indaiatuba (Campo de Provas), todas em SP, além de um moderno Centro Tecnológico de Engenharia e Design, em São Caetano do Sul, com capacidade para desenvolvimento completo de novos veículos. A subsidiária brasileira é um dos cinco centros mundiais na criação e desenvolvimento de veículos, nos campos da engenharia, design e manufatura.

Mais informações podem ser encontradas nos sites www.media.gm.com e www.gmnoticias.com.br

Jornalista responsável: Luís Otávio Pires


terça-feira, 22 de junho de 2010

As ruas da Capital vão tremer com o ronco dos caminhões da Fórmula Truck.



Será a Truck Show que fará um grande desfile nesta quinta-feira (24/06), a partir das 15 horas, para lançamento da Etapa de Campo Grande de uma das categorias mais populares do automobilismo brasileiro.
 

O trajeto terá início no estacionamento do Parque das Nações Indígenas, em frente à Cidade da Copa, seguindo pela Avenida Afonso Pena, até a Rua 14 de Julho, entrando na Cândido Mariano, descendo a Rua 13 de Maio e retornando para os altos da Afonso Pena.

Será uma oportunidade única para quem quer ver de pertinho os “grandalhões” da velocidade.

Está confirmada a presença do piloto Wellington Cirino, o maior campeão das pistas de nossa cidade, com quatro pole-position e três vitórias.

A quarta etapa do Campeonato Sul-Americano de Fórmula Truck acontecerá entre os dias 25 e 27 de junho, no Autódromo Internacional de Campo Grande.

Maiores informações através do site: www.formulatruck.com.br ou na Federação de Automobilismo de Mato Grosso do Sul, pelo telefone: (67) 3025-1910.


sexta-feira, 18 de junho de 2010

Roubo de Passat GTS Pointer no Rio Grande do Sul


Passat GTS Pointer 1989 prata placas IAX 1166, roubado em Flores da Cunha - Rio Grande do Sul, 18 de Junho de 2010 por volta da 12 h.

AJUDEM: repassem, qualquer informação retornar email ou ligar para policia.

Repassem para o maior numero de pessoas possiveis. Obrigado.

Encontro de Veículos Antigos de Rio Claro - SP

Encontro de Carros Antigos de Cordeirópolis - SP

Olá, convidamos você que tem carro antigo á participar do Encontro de Carros Antigos, a confirmação pode ser feito pelo telefone (19) 3545-2367 ou pelo email da secretaria -  culturacordeiro@hotmail.com. Mais informações no cartaz ou pelo telefone.



Contran torna obrigatório curso para motofretistas e mototaxistas

Profissionais terão de cumprir carga horária com aulas teóricas e práticas.
Resolução entrará em vigor em 180 dias.

Motofretistas e mototaxistas terão de fazer curso especializado obrigatório para exercer suas atividades profissionais. O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicou nesta sexta-feira (18), no Diário Oficial da União, a resolução nº 350 que torna obrigatória a realização de cursos especializados para os chamados "motoboys".

De acordo com a resolução, a decisão de instituir a obrigatoriedade do curso levou em consideração a importância de garantir aos motociclistas profissionais a aquisição de conhecimentos, a padronização de ações e, consequentemente, atitudes de segurança no trânsito. A resolução entrará em vigor em 180 dias.
De acordo com o documento publicado, os cursos serão ministrados pelos Detrans ou por órgãos, entidades e instituições autorizados. Serão reconhecidos os cursos específicos destinados a motofretistas e mototaxistas que tenham sido ministrados por órgãos ou entidades do ou entidades do Sistema Nacional de Trânsito (SNT) ou por entidades por eles credenciadas.

Para fazer o curso, o profissional deverá ter no mínimo 21 anos e estar habilitado há pelo menos dois anos na categoria "A". Não pode estar cumprindo pena de suspensão do direito de dirigir, cassação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), decorrente de crime de trânsito, bem como estar impedido judicialmente de exercer seus direitos.

O curso tem carga horária de 30 horas-aula e inclui noções básicas de legislação, gestão do risco sobre duas rodas, segurança e saúde. Os profissionais também terão de fazer aulas práticas de pilotagem profissional.(G1)

 

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Senado aprova parcelamento de multas de trânsito em até seis vezes

O parcelamento de multas de trânsito em até seis vezes foi aprovado em decisão terminativa, nesta quarta-feira, pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Essa flexibilização no pagamentoposta em projeto de lei do senador Raimundo Colombo (DEM-SC). O parlamentar afirma estar preocupado com a inadimplência de muitos motoristas que não têm condições de pagar, de uma só vez, multas de trânsito de valores mais elevados.

O relator, senador Alvaro Dias (PSDB-PR) concordou com a necessidade de socorro financeiro. Em seu parecer favorável, com duas emendas de redação, ele argumenta que "se, em tese, o peso das multas é capaz de induzir os cidadãos ao cumprimento da lei, na prática, a impossibilidade de arcar com o pagamento de valores considerados excessivamente altos tem levado uma legião de infratores à inadimplência".

Ao admitir a possibilidade de concessão do benefício, entretanto, Alvaro Dias procurou deixar claro que a medida não ameaça o rigor da legislação de trânsito nem a gestão dos recursos gerados pelas multas aplicadas pelos órgãos de fiscalização rodoviária. Segundo informou, as multas fixadas pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB) variam atualmente de R$ 53,20 (infrações de natureza leve) a R$ 191,54 (infrações de natureza gravíssima).

Se esses valores, isoladamente, não se mostram muito expressivos, o relator do PLS 20/10 chama atenção para casos indicados no CTB em que o valor inicial da multa é multiplicado por 2, 3 ou 5, conforme a gravidade da infração. Na pior situação, quando a multa pela prática de infração gravíssima é multiplicada pelo fator mais elevado, Alvaro Dias observa que a taxação chega a quase R$ 1 mil.

Ainda segundo alerta do relator, o não pagamento de multa de trânsito afeta não só o motorista, mas pode impedir a própria utilização do veículo. Além de o licenciamento do veículo - anual e obrigatório para sua circulação - não poder ser quitado enquanto houver multas pendentes, a prática da infração pode resultar na apreensão do carro, o que deixa a situação ainda mais complicada. O pagamento das multas também é exigência para liberação do veículo apreendido, com o agravante de que, passados 90 dias, aqueles não liberados dentro do prazo legal vão a leilão. (Jornal O Dia)

9º Encontro de Veículos Antigos Nacionais do Rio de Janeiro

 

Dia 20 de junho de 2010

Local: Museu Militar Conde de Linhares – Av. Pedro II, 383 – Próximo à Quinta da Boavista – São Cristóvão – Rio de Janeiro – RJ
Horário: das 9 às 17 horas
A entrada dos veículos antigos é FRANCA, contudo solicitamos doação de 1 kg de alimento não perecível, ou ração para cão ou gato, para instituições beneficentes.
Realização e organização:  AGMH Antigomobilistas

Informações:

Armando: (21) 9101-4621
Guilherme: (21) 8159-9670
Max: (21) 9977-7821
Hélio: (21) 9981-3682

Montadoras pressionam governo por IPI reduzido para carros flex

Ministros devem discutir incentivos para carros elétricos nesta quarta-feira.
Venda de veículos apresenta queda desde a volta do imposto integral.

 

Os ministros da Fazenda, do Desenvolvimento e da Ciência e Tecnologia devem se reunir amanhã para discutir a política de incentivo à produção do carro elétrico no Brasil. O programa pode ser ampliado para incluir estímulos para a produção de veículos bicombustíveis (flex). A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) pressiona pela redução definitiva de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para carros flex, para estimular o uso do etanol como combustível.

O anúncio dos benefícios aos carros elétricos, que seria feito pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, há cerca de duas semanas, foi suspenso em cima da hora por determinação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O ministro do Desenvolvimento, Miguel Jorge, apresentou a ponderação de que o plano deveria incluir incentivos aos carros flex.

Impasse
 
A primeira versão do estudo elaborado pelo Ministério da Fazenda fazia menção ao etanol em apenas uma linha. Depois cresceu para um parágrafo na versão final que seria apresentada por Mantega. "O etanol era ignorado", disse uma fonte do governo. Um interlocutor do setor automotivo disse que o ideal seria que houvesse a redução definitiva de IPI para carros flex. Eles defendem o aperfeiçoamento da tecnologia para se tornar mais eficiente em consumo e emissões até que outra tecnologia mais avançada seja viável.

De acordo com o ministro de Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende, o investimento na tecnologia do carro elétrico no Brasil é considerado irreversível. O monistro afirma que o carro elétrico é mais eficiente do que o veículo movido a álcool, e o país não pode ficar de fora desse novo mercado.

"Estamos tocando o desenvolvimento do carro elétrico independentemente dessa decisão, temos dinheiro dos fundos setoriais, mas precisamos de mais", argumenta Sergio Rezende, numa referência aos incentivos fiscais que estavam para ser anunciados pelo colega Guido Mantega (Fazenda). Sobre o incidente de terça-feira, comentou: "Houve falta de acordo".

"O carro flex é importante e não vai deixar de ser, o carro elétrico é para daqui a 10 anos", argumentou o ministro, sugerindo que o motivo da resistência ao carro elétrico é a defesa da tecnologia dos veículos a álcool, desenvolvida no país há 30 anos. Os carros flex já representam mais de 30% da frota nacional.

Sobre o dinheiro já investido no novo projeto, Rezende cita os R$ 10 milhões destinados à rede de centros de inovação em tecnologias, uma das linhas do Sistema Brasileiro de Tecnologia. O projeto conta com outras linhas de financiamento para o desenvolvimento de baterias de sódio, por exemplo. As baterias são o grande desafio tecnológico, na avaliação do ministro. Atualmente, os modelos estrangeiros usam baterias de lítio, que o Brasil não produz e cuja fabricação é dominada por empresas asiáticas.

Atualmente, as montadoras que pretendem iniciar a venda em escala de carros elétricos contam com altos subsídios dos governos, casos por exemplo dos Estados Unidos, Alemanha, França e até a China.(G1)

terça-feira, 15 de junho de 2010

Mercedes-Benz convoca proprietários do Sprinter no Brasil

 

Recall envolve o 311, 313 e 413, fabricados entre julho e setembro de 2009.
Motivo é o desgaste excessivo do cabo do freio de estacionamento.

A Mercedes-Benz do Brasil anunciou nesta terça-feira (15) o recall dos veículos Sprinter, modelos 311, 313 e 413 Van, Furgão e Chassi, fabricados entre julho e setembro de 2009, por desgaste excessivo do terminal do cabo do freio de estacionamento.

Confira o número dos chassis dos veículos envolvidos:

Modelo: 311, 313 e 413 Van, Furgão e Chassi
Data de fabricação: de julho de 2009 a setembro de 2009
Chassis: de 8AC9036729E021546 a 8AC9036629E021986


Os proprietários das unidades convocadas devem procurar a rede de concessionárias autorizadas da marca para substituição do cabo de freio de estacionamento. A fabricante alerta que o componente pode quebrar, impedir o funcionamento do freio e, eventualmente, resultar em acidente.

Para dúvidas ou mais informações, a Mercedes-Benz disponibiliza o telefone 0800 970 90 90 e o site www.mercedes-benz.com.br.

O Procon-SP orienta que o recall envolve os modelos adquiridos da concessionária ou de pessoa física e não há prazo limite para atendimento à campanha. Se o consumidor tiver qualquer dificuldade para efetuar o reparo/substituição, deve procurar um órgão de defesa do consumidor.

A Fundação Procon-SP entende que por se tratar de possibilidade de acidente com risco à saúde e segurança dos usuários e de terceiros, o atendimento deve ser de imediato. Se o consumidor tiver qualquer dificuldade para efetuar o reparo/substituição, deve procurar um órgão de defesa do consumidor.

O Procon-SP orienta que a empresa deverá apresentar os esclarecimentos que se fizerem necessários, conforme determina o Código de Defesa do Consumidor, inclusive com informações claras e precisas sobre os riscos para o consumidor.

O telefone para informações é 151, que também atende consulta para saber se uma determinada empresa tem reclamações no Procon-SP. O site do órgão é o www.procon.sp.gov.br.(G1)

 

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Bentley 4.5 Litre de 1931 é leiloado por R$ 1,8 milhão na Inglaterra

Motor de 4.5 litros tem 175 cV e roda 3 km por litro de combustível.
Cupê nasceu em 1926 para substituir o campeão de Le Mans 3 Litre.

Lançado em 1926, o cupê que nasceu para substituir o 3 Litre (modelo várias vezes campeão das 24 Horas de Le Mans) tem potência de 175 cavalos a 3.500 rpm e chega a velocidade máxima de 170 km/h com consumo de 3,5 km/l.

Apesar de nascer para as pistas, o 4.5 Litre não terminou as provas que disputou em Le Mans em 1930, embora tenha batido o recorde de volta mais rápida. Os melhores resultados em competições foram a vitória nas 500 Milhas de Brooklands em 1929 e um segundo lugar no Grande Prêmio da França.


 

terça-feira, 8 de junho de 2010

1º Encontro Interclubes em São Gonçalo - RJ - 13 de junho de 2010

1º Encontro Interclubes em São Gonçalo, dia 13 de junho de 2010, Rua Dr.  Francisco Portela (em frente a UERJ – Faculdade de Formação de Professores) Bairro Patronato – São Gonçalo. Realização ACVAMERJ (Associação dos Clubes de Veículos e Antiguidades Mecânicas do Rio de Janeiro).

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Volkswagen mostra imagens oficiais do novo Phaeton

Sedã de luxo recebeu alterações principalmente na dianteira.
Modelo mira o Mercedes-Benz Classe S e BMW Série 7.

A Volkswagen divulgou imagens oficiais do novo sedã de luxo Phaeton, que recebeu alterações principalmente na dianteira com faróis que trazem sistema de iluminação diurno composto por LED`s e novo desenho da grade frontal e do capô.

O sedã, que mira o Mercedes-Benz Classe S e BMW Série 7, mantém os motores V6 3.6 litros de 280 cv, o V8 4.2 de 335 cv e o W12 6.0 de 450 cv. Há ainda uma opção V6 3.0 de 240 cavalos a diesel.

A cabine conta com acesso individual a computadores, geladeira embutida, sistema de navegação com acesso à internet e sistema de som com 12 alto-falantes e 30 gb para armazenamento de músicas e outros arquivos.(Auto Esporte)




 

Volkswagen Golf GTi 2011 europeu

(Auto North)

Líder da F-1, Webber renova contrato e fica na Red Bull em 2011

O australiano Mark Webber renovou seu contrato com a Red Bull por mais um ano. O atual líder do Mundial de F-1 não encontrou dificuldades para aceitar a proposta de correr a próxima temporada pela escuderia.
"Foi uma decisão fácil continuar na Red Bull. Começamos a conversar muito cedo, assinamos no GP da Espanha", revelou. 

A renovação por apenas um ano era desejada por ambas as partes. "É amplamente conhecido que eu não estou interessado em permanecer na F-1 com qualquer carro. Estou feliz por renovar ano a ano", explicou. 

Em seu comunicado à imprensa, Webber se disse também muito confortável na equipe. No último GP disputado, na Turquia, ele se envolveu em um acidente com seu companheiro de Red Bull, o alemão  Sebastian Vettel, e a equipe fez questão de esfriar os ânimos. 

O chefe da construtora, Christian Horner, salientou estar muito feliz em contar com Webber e Vettel em 2011, o terceiro ano consecutivo da dupla. "É um membro importante da nossa equipe e se encontra atualmente em seu melhor momento, é o líder do mundial", resumiu.